Autoestima e Selfies

Nunca houve tanto culto a imagem e excesso de vaidade no planeta!

É muito saudável ter autoestima positiva e se amar, naturalmente, para que a vida seja feliz e produtiva. Entretanto, a extrema necessidade de se mostrar e, principalmente, agradar aos outros e receber “curtidas” e seguidores tem gerado ansiedade e sérios problemas psicológicos em milhões de pessoas.

Em tempos de tantos “selfies” a vaidade e superficialidade estão no auge – por sinal, por aqui a mania de adotar “modismos”, seja em dietas ou em comportamentos, é uma verdadeira epidemia. Sem sequer saber as raízes, muitas pessoas não conhecem o significado da palavra Selfie, que é a junção do substantivo self (em inglês “eu mesmo”, “a própria pessoa”) e o sufixo ie – é uma forma de autorretrato, em que a pessoa se fotografa e “precisa” imediatamente publicar em redes sociais, para receber avaliação “positiva”, claro, para sentir-se feliz.

A questão é que é impossível agradar a todos e não deveria haver esta necessidade crescente de aceitação. E para ilustrar o tema, segue um texto divertido e muito verdadeiro, para que todos reflitam e sejam  felizes, INDEPENDENTE da opinião alheia.

  • O VELHO, O MENINO E O BURRO

“Um velho resolveu vender seu burro na feira da cidade. Como iria retornar andando, chamou seu neto para acompanhá-lo. Montaram os dois no animal e seguiram viagem.

Passando por umas barracas de escoteiros, escutaram os comentários críticos; “Como é que pode, duas pessoas em cima deste pobre animal!”

Resolveram então que o menino desceria, e o velho permaneceria montado. Prosseguiram…

Mais a frente tinha uma lagoa e algumas senhoras estavam lavando roupa. Quando viram a cena, puseram-se a reclamar; “Que absurdo! Explorando a pobre criança, podendo deixá-la em cima do animal.”

Constrangidos com o ocorrido, trocaram as posições, ou seja, o menino montou e o velho desceu.

Tinham caminhado alguns metros, quando algumas jovens sentadas na calçada externaram seu espanto com o que presenciaram; “Que menino preguiçoso! Enquanto este velho senhor caminha, ele fica todo prazeroso em cima do animal. Tenha vergonha!”

Diante disto, o menino desceu e desta vez o velho não subiu. Ambos resolveram caminhar, puxando o burro.

Já acreditavam ter encontrado a fórmula mais correta quando passaram em frente a um bar. Alguns homens que ali estavam começaram a dar gargalhadas, fazendo chacota da cena; “São mesmo uns idiotas! Ficam andando a pé, enquanto puxam um animal tão jovem e forte!”

O avô e o neto olharam um para o outro, como que tentando encontrar a maneira correta de agir.

Então, ambos pegaram o burro e o carregaram nas costas!!!”

Além de divertida, esta fábula mostra que não podemos dedicar atenção irracional para as críticas, pois estas acontecerão sempre, independente da maneira que procurarmos agir. E que é preciso não depender do julgamento alheio para viver e ser feliz.

Que tal dedicar menos tempo aos “selfies”, cultivar outros valores e cuidar não apenas da aparência exterior para expor e receber “curtidas”? Que tal fotografar a natureza, arte, arquitetura, a VIDA ou melhor ainda, observar tudo com os SEUS olhos e não apenas pelas lentes do smartphone ou câmera? Que tal acreditar mais em si mesmo, independente de uma, duas ou 1000 curtidas?

Compartilhe! Conte aos amigos...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn

Comentários encerrados.